quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Money, Abundance... / Dinheiro, Abundância... Part 1

Money, Abundance, Happiness and Freedom


Dinheiro, Abundância, Felicidade e Liberdade


I’m going to share with you a vision about Money and ultimately Abundance itself.

Picture an immense garden. This garden has all types of flowers all year round, not all blooming at the same time but nevertheless there are always many many flowers available any time.

The ground is healthy, fertile and beautiful beyond description. And it belongs to no one in particular but is accessible to all who allow themselves to see it, who nurture it, who respect and honour it, who trust it, who celebrate it, who enjoy it and thank it, who love it unconditionally.

Money is only one type of flower in this immense garden and it comes in different colours.

You don’t, of course, pick all of the flowers in the garden because they would not spread their seeds if you did and they would dry after a much shorter period of time than when they are left blooming under the warmth of the sun, the soothing moon, the fresh rain and all of the other elements of nature that keep them strong. You know that there are always flowers in this garden and you can go there and pick some to brighten up your home whenever you wish to.

Each and every flower in this garden is as precious, as exquisitely special, as unique and lovable as any other so the flowers that represent money are in no way better or more valuable than the ones that represent pears, apples or the air that you breathe.

So why, you may very well ask, are we not always aware of this garden and of all of these different flowers? Or we might be aware of it but have trouble accessing it, no matter how hard we try?

In the next posts I will share more reasons why but for now here is one:

Stop trying! Each time you try you are making an effort to force something that cannot be forced – only realised and allowed.




***

Vou partilhar contigo uma visão acerca do Dinheiro e em última instância acerca da própria Abundância.

Imagina um jardim imenso. Neste jardim há flores de todos os tipos durante todo o ano. Nem todas florescem ao mesmo tempo mas no entanto há sempre muitas flores disponíveis.

O solo é tão saudável, fértil e belo que não há palavras para o descreverem, e não pertence a ninguém em particular mas está ao alcance de todos os que se permitam vê-lo, nutri-lo, respeitá-lo e honrá-lo, confiar nele e celebrá-lo, que desfrutam dele e lhe agradecem, que o amam incondicionalmente.

O dinheiro é apenas um tipo de flor neste jardim imenso e há flores deste tipo de muitas cores diferentes.  

Claro que não colhes todas as flores do jardim porque se acaso o fizesses, as suas sementes não poderiam espalhar-se e multiplicar-se ao mesmo tempo que secariam mais depressa num vaso do que na terra, onde podem florescer e deleitar-se com o sol morno e a lua suave, com a chuva fresca e todos os outros elementos da natureza que as mantêm fortes e viçosas. Sabes que há sempre flores neste jardim e que podes colher algumas para alegrar a tua casa sempre que queiras.

Todas as flores aqui são preciosas, absolutamente especiais, únicas e adoráveis e as que representam o dinheiro não são de todo mais valiosas do que as que representam peras, maçãs ou o ar que respiras.

Então, perguntas tu, porque é que nem sempre temos consciência deste jardim e de todas as suas diversas flores? Ou talvez tenhamos consciência dele mas é-nos difícil aceder a ele, não importa o quanto tentamos?

Nos próximos posts partilharei muitos motivos mas por agora aqui fica um:

Para de tentar! De cada vez que tentas, estás a fazer um esforço para forçar algo que não pode ser forçado – apenas permitido.






Sem comentários:

Enviar um comentário