segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O Poder da Escolha Consciente - Eco Trip/ Take 9

Dia 8 - 20 de Agosto 


Presença


Hoje escolho Presença. Não é que não o faça todos os dias, claro. Mas o meu propósito com estas escolhas diárias tem a ver com o foco em diferentes formas de experienciar Ser no meu dia-a-dia humano, ainda que todas as qualidades que tenho vindo a expressar como escolha do dia estejam presentes em cada momento pois são parte intrínseca de ser consciente.

Partimos hoje à descoberta da famosa Cote D’Azur e cedo descobrimos que agosto é provavelmente a pior altura do ano para passar por aqui.

O trânsito intenso faz lembrar carreiros de formigas incansáveis, sempre em movimento, milhares no mesmo trilho.

A beleza azul turquesa deste mar é de facto ímpar e compensa a lentidão da viagem. Ainda assim, para quem vem de um Portugal riquíssimo em praias soberbas, tamanha azáfama em torno de um mar azul não tem grande propósito que não o de apreciar mais um encanto da natureza, sobrepovoado pelo estrelato. É como uma Diva que todos querem ver e tocar.



Chegamos mesmo a conseguir um “autógrafo” quando paramos numa pequena praia chamada Venice Beach para nos sentarmos com a nossa granola e iogurte líquido. Molho os pés, grata e fresca, pronta para prosseguirmos.



St Tropez era um destino por onde tencionávamos passar, mas a partir da rotunda onde se sai para St Tropez a fila é compacta e decidimos riscar esse destino do nosso itinerário.

Devagarinho acabamos por chegar a Nice, onde procuramos a Promenade des Anglais, um longo e largo passeio à beira-mar.

Vemos uma cascata lá no alto e decidimos procurar o parque onde se encontra, para fazermos a nossa salada do dia.

Encontramos parque grátis e seguimos a pé monte acima. Subimos, subimos mais um pouco e continuamos a subir até que encontramos um sítio sossegado que nos agrada. Apesar do calor, a água que corre pela rua abaixo refresca o ambiente e faz-nos sentir límpidos e serenos, largando o cansaço da longa viagem até aqui.

Estas nossas refeições ao ar livre, preparadas com gratidão e carinho e na máxima simplicidade, poupando recursos e abrindo novas combinações de texturas e sabores, trazem-nos tanto com tão pouco! É a liberdade de não termos que seguir os horários de ninguém, de podermos escolher onde e como preparar o nosso repasto. É o equilíbrio dos alimentos, grande parte deles crus e cheios de sabor, leves e nutritivos. É a simplicidade, a sustentabilidade e a naturalidade da nossa partilha. Muito mais do que apenas mais uma refeição.

Hoje aparece um grupo de quatro jovens, 3 rapazes e uma rapariga, namorada de um deles. Trazem música – uma espécie de chill out que inspira e acalma ao mesmo tempo. São praticante de Parcour e ensaiam algumas proezas para nosso deleite, colorindo a nossa refeição do almoço, que obedecendo aos padrões comuns seria o lanche, dado o adiantado da hora.

O curioso é que uma cidade tão grande à beira do oceano azul seja tão tranquila. Um apontamento de serenidade num dia que tem requerido de facto muita Presença, enquanto navegamos pelo mar de gente que povoa esta zona de França.



A nossa próxima passagem é pelo Mónaco, mas antes de lá chegarmos paramos à beira da estrada num local com vistas esplêndidas para que o Pedro possa despachar um trabalho que não pode esperar e eu aproveito para também dar conta dos meus mails, sentada de costas para a estrada barulhenta e de frente para o Paraíso imenso. A internet é uma dádiva mágica que nos facilita a vida, se for essa a nossa escolha.



Quando finalmente passamos pelo Mónaco, mais uma vez encontramos um lugar bonito, mas a sua fama deve-se com certeza mais ao que se passa dentro dos edifícios que não visitamos, do que à envolvente natural.

Entramos finalmente na Itália!!!! Vivaaa!

Fazemos o caminho pela costa na região da Ligúria e passamos por mais lugares superpovoados em que se torna difícil discernir onde acaba uma localidade e começa outra. As ruas e os prédios são menos limpos que em França e o trânsito é um pouco mais rebelde, para não dizer caótico. Mas se calhar é porque estamos cansados de um dia de marcha lenta e trânsito intenso.

Seguimos até à zona de Sanremo, onde entramos na auto estrada para procurar uma estação de serviço e dar o dia por terminado que são horas de descansar.

A nossa Presença encontra-nos um sítio confortável e sossegado que muito agradecemos e estamos prontos para mais uma noite na nossa belíssima “car-van” que hoje nos parece um Hotel de mil e uma estrelas.

Boa noite J


2 comentários: