segunda-feira, 19 de agosto de 2019

A folha que voa...

A folha voa no respirar sereno da aurora, salpicando um rasto leve pela brisa das planícies. Detém-se, suave, num ninho de pétalas secas, absorvendo os seus murmúrios de silêncio campestre.

E eis que o vento a puxa "vem, vem, vem mais além...", e ela entrega-se, livre e solta sem pensamento que a detenha de ser uma folha ao sabor do Agora.

Encosta-se a uma janela e espreita. Estranho este transparente que separa este lugar daquele, sem no entanto parecer que algo ali haja. Para ela o transparente é amplo, um contínuo onde nada a separa do aqui onde se sente. Porém, o ali por detrás deste transparente mostra um mundo à parte. Protegido. Fechado. Confortável. Agradável?

Talvez.

Alguém abre a janela e a folha incontida esvoaça, caindo num tapete macio, morto. Nem brisa, nem vento, aqui nada a embala para fora do macio e confortável tapete de sala. Deixa de ter propósito ser uma folha solta ao sabor do nada em todos os momentos únicos do eterno agora. E a folha esquece, esquece perdida de si, perdida de tudo.



quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Flying Free

The only thing that could ever stop me from flying free, are the limited illusions I might choose to believe in.

I can quite simply acknowledge them and let dissolve in the expanded doorways each breath opens, thus setting us both free, beliefs and myself, in an instant of awareness divine.



sexta-feira, 2 de agosto de 2019

About Realization and the Silence in-between / Sobre a Realização e o Silêncio entre o antes e o depois

That which cannot be understood, cannot be studied or learnt. It can only be known from the depths of oneself, as it is realized - and therefore experienced.

You cannot come to the veritable significance of Divinity, in other words Truth beyond Illusion, by learning it. It can only be realized by being allowed to come to you. It comes to you.

However, it is through the learning process that the boundaries of imagination, and therefore possibility, are stretched, creating the fertile ground for the seed to take root and blossom.

For the seed to take root and blossom it needs the space in-between. The silence between learning and BEcoming.

Sooner or later it becomes imperative to let go of the need to learn more, for no amount of learning will lead to realization per se. The latter resides beyond the Mind.

Realization can only come to you once the need for it is fully released and its possibility is fully accepted... in the Now. It Is right here, right now. Once allowed and accepted it happens in its own unique way for each One.





O que não pode ser entendido, não pode ser estudado ou aprendido. Apenas pode ser sabido no fundo de cada um, conforme se realiza - e desta feita, experiencia.

Não se pode chegar ao verdadeiro significado da Divindade, por outras palavras, da Verdade para além da Ilusão, através da aprendizagem. A Verdade apenas pode ser realizada quando permites que venha a ti. Ela vem ao teu encontro.

No entanto, é através do processo de aprendizagem que as fronteiras da imaginação e por conseguinte da possibilidade, são ampliadas, criando o solo fértil necessário para que a semente se enraize e cresça.

Para que a semente se enraize e cresça, necessita do espaço entre o antes e o depois. O silêncio entre a aprendizagem e o tornar-se algo mais, o Ser.

Mais tarde ou mais cedo, é imperativo que se largue a necessidade aprender sempre mais, pois nenhuma quantidade de aprendizagem levará à realização só por si. Esta reside para além da Mente.

A realização pode vir até ti apenas quando a necessidade da mesma é libertada e quando a sua possibilidade é plenamente aceite... no Agora. Ela está aqui, agora. Uma vez permitida e aceite, acontece de forma Única para cada Um.



sábado, 20 de julho de 2019

Starting Over, Rebuilding Your Life / Recomeçar, reconstruir a tua Vida

Parallel Presentation - Women Economic Forum Perth, Australia
2 pm - 7th July 2019


Starting Over, rebuilding your Life

(Versão portuguesa abaixo)


I will start by briefly presenting myself. My name is Tania Castilho, I am a citizen of the world currently residing in Portugal.

I am a Professional Space Holder. In other words, I hold space for the reunion of Human & Divine. I do this through what I call Isness Mentoring & The Breath of Isness Facilitation. I am an author, an inspirational speaker, an Education Professional, a Personal and Public Sustainability Consultant, a Social Marketing Explorer and a Changeologist 😃which I define as being "a conscious explorer of the science of change".

I could say I am a serial entrepreneur and an expert at starting over and even more so, an excellent loser. This is how I have won my passport to success which I equate as fulfilment - living a fulfilling, purposeful, rewarding life. 

I believe life is in permanent construction and thus never rebuilt but built anew moment to moment.

I have come to terms with this by discovering a permanent inner comfort zone which requires:

💗Honesty
💗Transparence
💗Vulnerability
💗Trust
💗Allowing

Life just falls into place accordingly.

In a nutshell, my life has required a permanent dance of adaptation ever since I was a child, having lived in 3 different countries up to the age of 8 and learnt 6 languages, 5 of which while still a child. I have moved home over 20 times, have gone through 8 breakups, two of which when I was a child and the other 6 in my own relationships, have had two children and given up custody of one of them. I have successfully started and handed over 5 businesses and helped manage another and will soon be starting two more new businesses. I have written 11 books and participated as an author or editor in another 4, I have overcome 250,000 euros in debt as well as many chronic conditions and other ailments, food, exercise and adrenaline addiction, depression, suicidal tendencies and I have felt completely worthless, useless, lost, empty and helpless.

I have realized all of my most heartfelt dreams and come to a point where life just unfolds moment to moment showing me what the next invitation is.

The main lessons learnt from all of this have been:

Letting go is the most essential lifelong skill, and it comes hand on hand with giving up and acceptance.

➤Giving up on who I thought I was and who I think I am every day.
➤Giving up on what I think I believe in.
➤Giving up on what I think I want and need.
➤Giving up on what I think I dream of.
➤Giving up on what I think I know...

The greatest decision I ever made was to allow Freedom to take the reins of my existence and this required complete surrender to my inner guidance, with no clue about what my next step would look like and with no attachment to the last one.

Developing a Love Affair with my Soul and learning its language, which is generally called "listening to my heart", has become my most precious gift, allowing me to trust my feeling entirely, without a single shadow of doubt, so much so that the Mind has surrendered to following my feeling and no longer pushes the other way to prove my Soul is wrong 😇 I have learnt that going along with even the most surreal prompts from my Soul can only bring about the best possible outcomes, every single time. Which means, in fact I know nothing and don't need to. Knowingness comes and goes as it is needed.

There came a time in my life when I realized I could choose. Actually, if anything was to change, I had to choose. So I chose to let go of drama, worry, stress, anxiety, attachment to problems and undesired outcomes, victimness and abusive behaviours... This, of course, lead to huge and deep changes as my darkest fears came out of their hiding places to question my resolve. I embraced them, one by one, all of my unloved, rejected, denied parts, as if I were a huge puzzle coming back together in the loving arms of my Soul, one breath at a time.

I have come to embrace change fully, allowing myself to navigate it with ease, trust and simplicity, for living from the Core does not come with a map, but on the other hand it requires no effort. It is like gliding on a permanent flow of gentleness.



I have chosen to let go of all personal agendas to allow Human and Divine to create a completely fulfilling life.

Let's recap: letting go; giving up; acceptance; allowing; trust; making clear and conscious choices (for myself and only for myself, for we can choose for no one else) with my Soul; feeling my way through life rather than thinking it. These have been my most precious friends along the way.

I am permanently surrendering my Human existence to the Freedom of dancing with my Divinity - choosing a gentle life, cooperating with circumstances rather than fighting against them, living in Gratitude - the most fulfilling attitude of Abundance.

I have understood that life is generous when allowed and am blessed to walk hand in hand with it, moment to moment.

I invite you too to go ahead and create a path where there seems to be none. It doesn't matter where everyone else is going. 

Thank you for listening 🙏

My bio: https://www.wef.org.in/tania-castilho/

💖💖💖

Apresentação Paralela - Women Economic Forum Perth, Australia
14h00 - 7 Julho 2019


Recomeçar, Reconstruir a tua Vida



Vou iniciar com uma breve apresentação. Chamo-me Tânia Castilho, sou uma cidadã do mundo e resido atualmente em Portugal.


Profissionalmente o que faço é "Segurar Espaço". Por outras palavras, "Seguro Espaço" para a reunião do Humano e do Divino no próprio Espaço Seguro de cada um. Ou seja, facilito processos de expansão de consciência para a reunião do Humano com o Divino através do que chamo de Mentoria do Ser e facilitação de Viagens de Presença com Respiração Consciente. Sou autora, palestrante inspiracional, profissional na área da Educação, Consultora para a Sustentabilidade Pública e Privada, exploradora de Marketing Social e Mudançóloga 😀que defino como sendo "exploradora consciente da ciência da mudança".

Poderia dizer que sou uma empreendedora em série e uma expert na arte do recomeço e mais ainda, na arte de saber perder. É exatamente através desta última que ganhei o meu passaporte para o sucesso que equaciono como completude - viver uma vida com propósito, que me preenche e completa. 


Acredito que a vida está em permanente construção e por isso nunca é reconstruída mas sim construída de novo momento a momento.

Conciliei-me com este facto da vida através da descoberta de uma zona de conforto interna permanente que requer:

💗Honestidade
💗Transparência
💗Vulnerabilidade
💗Confiança
💗Permitir

A Vida acomoda-se no colo destes princípios... mais do que isso: desígnios.

Em suma, a minha vida tem requerido da minha parte uma dança permanente de adaptação desde a tenra infância, tendo eu vivido em 3 países diferentes até aos meus 8 anos e aprendido 6 idiomas, 5 dos quais enquanto ainda criança. Já mudei de casa mais de 20 vezes, passei por 8 rupturas relacionais, 2 das quais na infância, tive 2 filhos e abri mão da custódia de um deles. Iniciei com sucesso 5 negócios que depois entreguei a outros, ajudei a gerir mais um e brevemente vou iniciar mais dois. Escrevi 11 livros e participei como autora ou editora em mais 4, ultrapassei 250,000€ de dívidas, bem como muitas doenças crónicas e outras recorrentes, o vício da adrenalina, do exercício e a bulimia, depressão, tendências suicidas e muitos foram os momentos em que me senti completamente inútil, perdida, vazia, impotente e indefesa.

Realizei todos os meus sonhos mais profundamente desejados e cheguei a um ponto em que a minha vida simplesmente se desenrola momento a momento, mostrando-me qual é o próximo convite em cada agora.

As lições principais que aprendi com tudo isto foram:

Deixar ir é a competência mais essencial na vida e vem de mãos dadas com desistir e aceitar

➤Desistir de quem pensava que era e de quem penso que sou todos os dias.
➤Desistir daquilo em que penso que acredito.
➤Desistir do que penso que quero e preciso.
➤Desistir do que penso que sonho.
➤Desistir do que penso que sei...

A maior decisão que tomei foi permitir que a Liberdade tomasse as rédeas da minha existência, o que requereu entrega total à minha orientação interior, sem qualquer noção sobre os próximos passos e sem qualquer apego aos anteriores.

Desenvolver uma relação de Amor com a minha Alma e aprender a sua linguagem, que é geralmente chamada de "linguagem do coração" ou saber "ouvir o coração", tornou-se a minha dádiva mais preciosa, permitindo-me confiar inteiramente no que sinto, sem qualquer sombra de dúvida, tanto que a Mente acabou por render-se ao meu sentir e deixou de querer puxar no sentido oposto só para provar que a minha Alma está errada 😇Aprendi que seguir até mesmo os convites mais surreais da minha Alma apenas pode trazer os melhores resultados, 100% das vezes. O que significa que de facto não sei nada, nem preciso de saber. A Sabedoria vai e vem conforme necessário.

Houve um momento na minha vida em que descobri que podia escolher. Aliás. se queria que alguma coisa mudasse, era impreterível que escolhesse. Por isso escolhi largar o drama, a preocupação, o stress, a ansiedade, o apego aos problemas e aos resultados indesejados, a vitimização e os comportamentos abusivos... Isto, por seu turno, trouxe mudanças enormes e profundas, conforme os meus medos mais obscuros saíam dos seus esconderijos e questionavam a minha determinação. Abracei-os, um a um, todas as minhas partes não amadas, rejeitadas, negadas, como se eu própria fosse um puzzle enorme a reunir-se nos braços amorosos da minha Essência, uma respiração de cada vez.

Desde então, passei a aceitar e abraçar a mudança por completo, permitindo-me navegá-la com facilidade, confiança e simplicidade, pois viver a partir do Centro não vem com um mapa, mas por outro lado não requer esforço. É como deslizar num fluxo permanente de gentileza.




Escolhi largar todas as agendas pessoais para permitir que o Humano e o Divino possam criar uma vida completamente gratificante e realizada.

Recapitulando: deixar ir; desistir; aceitar; permitir, confiar, fazer escolhas claras e conscientes (para mim, e apenas para mim, pois não podemos escolher por mais ninguém) com a minha Alma; sentir o meu caminho na vida ao invés de pensá-lo. Estes foram os meus amigos mais preciosos ao longo do caminho.

Rendo permanentemente a minha existência Humana à Liberdade de dançar com a minha Divindade - escolhendo uma vida gentil, cooperando com as circunstâncias em vez de lutar contra elas, vivendo em Gratidão - a atitude mais gratificante de Abundância possível.

Percebi que a vida é generosa quando permitida e eu sou abençoada por poder caminhar de mãos dadas com ela, momento a momento.

Convido-te a criar um caminho onde parece não haver nenhum. Não importa em que sentido todos os outros estão a ir. 

Obrigada por ouvires 🙏

A minha biografia: https://www.wef.org.in/tania-castilho/






quarta-feira, 17 de julho de 2019

Mystical Journey / Viagem Mística

There is a big difference between going on a mystical journey and being on a mystical journey.

My whole life is an ongoing mystical journey and no insurance company can compete with my amount of coverage 😃I am fully insured, fully covered, because my God is not Fear but Love, Trust and Surrender🙏


Existe uma grande diferença entre fazer uma viagem mística e estar numa viagem mística.
Toda a minha vida é uma viagem mística contínua e nenhuma companhia de seguros consegue competir com o meu nível de cobertura 😃 Estou completamente assegurada e protegida porque o meu Deus não é o Medo mas o Amor, a Confiança e a Entrega 🙏

terça-feira, 16 de julho de 2019

The fabric of our reality / O tecido da nossa realidade

The thing about choosing our own reality is not so much about what everyone else believes in and therefore what happens to everyone else, but more about what we choose to believe in for ourselves.

Our possibles and impossibles are tailor made to fit the size of our consciousness. This, and only this, determines the fabric of our reality.



Escolher a nossa própria realidade não é tanto acerca do que os outros acreditam e que por consequência acontece nas suas vidas, mas mais acerca do que escolhemos acreditar para nós próprios.

Os nossos possíveis e impossíveis são talhados à medida da nossa consciência. Isto, e apenas isto, determina o tecido da nossa realidade. 

quarta-feira, 29 de maio de 2019

The Magic Inside / A Magia Cá Dentro

Picture this:

Now you're Wendy, from the Peter Pan story. You are on Captain Hook's ship and your hands are tied tightly behind your back. You are being made to walk the plank, feeling like you're blindfolded. On the other end, down there in the sea, there is the fierce crocodile, waiting with its mouth wide open to swallow you. However, you look up into the sky in serach of hope, you cannot see the crocodile, so all you need to do is walk on confidently in complete trust, knowing that whatever shall be, shall be.

Side story: we all know what's going to happen, because we know Peter Pan's story, so we know Wendy is safe. Nevertheless, we can also imagine how we would be feeling if we were in her shoes and we are amazed at her confidence. She seems to be completely at Peace, though she does not know what is about to happen... or does she? Can she sense all is well even though it doesn't seem so?

Moving on with Wendy's story: somehow Peter Pan finds out what's going on and at the very last minute, right when Wendy's foot has stepped off the plank and the next is soon to follow, hurtling her inevitably into the crocodile's mouth.... Swoosh... Peter Pan whisks her up into the air and saves her from her demise.

Now let's have a closer look. We knew Peter Pan was coming, because we know the story. Wendy knew all was well, because her heart is pure and even if she fell into the crocodile's jaws it would have been what was to be.

This story is a metaphor colouring what happens whenever we are faced with stepping further into Trust, further into merging with our Essence, beyond a certain Fear or Emotional prison. Just like Wendy, we know we are better off walking the plank than staying on the ship, there's nothing on it for us anymore. And certainly enough, we all know that if we walk off the plank we will be safe. It is a certainty we all carry deep within us. Every single one of us knows, profoundly, completely, that what's on the other side of our Ultimate Fear - the Fear of surrender to our Essence - is bliss.

So how on Earth do we get so caught up in Fear???? How does our survival mode, our Mind, manage to convince us time and again to step back for fear of destruction?

The answer is pretty simple: part of our personality, part of our Mind driven identity is in fact going to die. And then we will discover a new blend of who we are. And it will be ok, because when we are there we will have a whole new perspective so we cannot even begin to fathom now what it will be like then, because we just cannot see into this new land of Peaceful Loving Joyful Grace before we are fully in it.

It's the same thing as trying to explain to ourselves what it feels like to bathe in the ocean without ever having seen the ocean, smelt it or felt it. One can imagine, but one cannot know until one is in it. Just like any other experience. The only thing is, some experiences are "take it or leave it", nothing to dwell upon, nothing to lose and not much to gain either. Then again others are key turning points. However this one: this is the last Frontier! The Ultimate challenge for any Human - stepping beyond illusion is letting go of layers and layers and yet more and more layers of beliefs and mental constructs about who we are, about life, about reality.... about everything and anything... Only to find out that we know nothing. Only to find out that we discover each moment, let go and find out and so on, unattached to any social or mental constructs but choosing or not to comply with them if we want to.

Having to know what's next is nothing but Noise... Control.... Fear.

The Future does not happen randomly. Therefore, it is not unknown. It just is not entirely visible right now. Though our heart knows which path to follow.

Trying to know the Future will only confuse you. And it might even stop you from living the magic of miracles only your Essence can manifest.

What if your Essence proposes something that beats the odds? No amount of planning through the limited lense of your current beliefs can lead you to fruition of the now seemingly impossible.

Each time you are at a turning point inside, about to let go of a past, no longer necessary part of you, it will feel like you are at the edge of an abyss, about to be doomed to no-thing-ness...

Let go, let BE. Fly dear one! Fly... The Magic inside will catch you :)



You might like to read this also: The Ultimate Fear 


🙏💧🙏


Imagina isto:


Agora és a Wendy, da história do Peter Pan. Estás no navio do Capitão Gancho e as tuas mãos estão atadas atrás das costas. Estás a ser obrigada a caminhar na prancha, sentindo-te como se tivesses os olhos vendados. Na outra ponta da prancha, lá em baixo no mar, está o feroz crocodilo, à espera, com a boca bem aberta para te engolir. No entanto, tu olhas para o céu em busca de esperança, não consegues ver o crocodilo, por isso só precisas de caminhar em confiança, sabendo que o que será, será.

À parte: todos nós sabemos o que vai acontecer, porque conhecemos a história do Peter Pan, por isso sabemos que a Wendy está segura. Ainda assim, também conseguimos imaginar como nos estaríamos a sentir se estivéssemos no seu lugar e ficamos maravilhados com a sua confiança. A Wendy parece estar completamente em Paz, ainda que não saiba o que está para acontecer... ou saberá? Será que ela sente que tudo está bem, mesmo que não pareça?

Seguindo com a história da Wendy: de alguma forma o Peter Pan descobre o que se está a passar e no último minuto, mesmo quando o pé da Wendy sai da prancha e o outro se lhe seguirá, fazendo-a cair inevitavelmente na boca do crocodilo... Bling... O Peter Pan apanha-a e eleva-a no ar, salvando-a do seu possível infortúnio.

Agora olhemos mais de perto. Nós sabíamos que o Peter Pan vinha, porque conhecemos a história. A Wendy sabia que tudo estava bem, porque o seu coração é puro e mesmo que ela caísse na boca do crocodilo, seria o que era para ser.

Esta história é uma metáfora do que ocorre sempre que estamos diante do desafio de dar mais um passo rumo a uma maior Confiança, a uma maior fusão com a nossa Essência, para lá de um qualquer Medo ou prisão Emocional. Tal como a Wendy, sabemos que mais vale caminharmos na prancha do que ficarmos no navio, porque já nada do que está lá nos serve. E do mesmo modo, também sabemos que se caminharmos para além da prancha estaremos seguros. É uma certeza que carregamos dentro de nós. Todo e cada um de nós sabe, profundamente, completamente, que o que está do outro lado do Medo Maior - o Medo da rendição à nossa Essência - é a beatitude.

Então como é possível que nos deixemos ficar tão presos no Medo??? Como é que o nosso modo de sobrevivência, a nossa Mente, nos consegue convencer uma e outra vez para darmos um passo atrás, com medo da destruição iminente?

A resposta é bastante simples: parte da nossa personalidade, parte da nossa identidade Mental vai de facto morrer. E depois descobriremos uma nova mescla de quem realmente somos. E estará tudo bem, porque quando estivermos lá teremos uma perspetiva completamente diferente, por isso não dá sequer para começarmos a saber como será nesse momento, porque não conseguimos ver o que está dentro desta nova Terra de Graça Pacífica, Amorosa e Alegre... até que estejamos inteiramente nela!

É o mesmo que tentarmos explicar para nós mesmos como é banharmo-nos no oceano sem termos visto o oceano, sem o termos cheirado ou sentido. Podemos imaginar, mas não conseguiremos saber até que estejamos dentro dele. Tal como com qualquer outra experiência. A única diferença é que algumas experiências podem ser escolhidas, "pegar ou largar", nada para considerar, nada a perder e sem grande ganho. Mas outras há, que são pontos chave de viragem.

Ah mas esta: esta é a última Fronteira! O desafio Maior para qualquer ser Humano - passar para além da ilusão é largar camadas e camadas e ainda mais e mais camadas de crenças e construções mentais sobre quem somos, sobre a vida, sobre a realidade... sobre tudo e mais alguma coisa... Apenas para descobrirmos que não sabemos nada. Para descobrirmos que descobrimos momento a momento, largamos e descobrimos e assim por diante... desapegados de construtos sociais ou mentais, com os quais escolhendo ou não interagir e comungar.

Termos que saber o que vem a seguir é nada mais que Ruído... Controlo.... Medo.

O Futuro não ocorre ao acaso. Por isso, não é desconhecido. Apenas não está inteiramente visível agora. Mas o nosso coração sabe sentir que caminho seguir.

Tentarmos saber o futuro irá confundir-nos. E até nos pode impedir de vivermos a magia dos milagres que apenas a nossa Essência consegue manifestar.

E se a tua Essência te propuser algo que vai contra todas as evidências? Não haverá planos que possas fazer através da tua perspetiva limitada pela lente das tuas crenças atuais que te possam levar à fruição do que parece agora impossível.

De cada vez que estiveres num ponto de viragem interna, a ponto de largar uma parte do passado, agora desnecessária para ti, sentir-te-ás como se estivesses à beira de um abismo, condenado ao vazio...

Deixa ir. Larga. Deixa Ser. Voa meu Amor! Voa... A Magia dentro de ti apanhar-te-á :)

Podes gostar também de ler este post: O Medo Maior