terça-feira, 16 de janeiro de 2018

O Poder da Escolha Consciente - Eco Trip / Take 17

Dia 16 – 28 de Agosto

Harmonia ao quadrado


Levantamo-nos meio estremunhados da noite pouco dormida mas ainda assim com um sorriso nos lábios e os olhos a cintilar de gratidão.

A minha escolha para o dia de hoje é a mesma que a de ontem – abraçar a pura bem-aventurança da harmonia e do equilíbrio, em completa rendição à minha Essência.

A nossa primeira paragem do dia é em Toulouse e não são ainda 8h da manhã, pelo que a cidade está a despertar.

Damos uma grande volta pela cidade, que apreciamos na usa majestade.



Ao cabo de duas horas chegamos ao carro. São exatamente 10h04, a hora que constava do tiquet de estacionamento pelo qual pagámos 1,50€.

As cidades são bonitas, não há dúvidas quanto a isso, mas é mesmo a natureza o que nos apaixona e preenche.

Mais um dia com as vistas preenchidas de verde e harmonia entre a mão humana e a força da Mãe Terra.




Não se vêem por aqui vestígios de fogos. Aliás, há árvores por todo o lado, bem poderosas e saudáveis.

Se ao menos em Portugal a consciência de massas chegasse ao entendimento de que não é o dinheiro fácil que leva à felicidade, que não é a destruir este bem tão precioso que são as árvores, criadoras de oxigénio e purificadoras do ar, que vamos conseguir criar um país estável, com uma economia robusta e um povo sorridente! Que não é a plantar eucaliptos sem fim que vamos repovoar as florestas e enriquecer, de todo, e que todos os nossos actos têm consequências que experimentamos na pele, 100% das vezes.

Sabemos que não há propósito em lutar contra as circunstâncias, mas que podemos escolher criar uma forma diferente de viver, uma consciência diferente da vida e do mundo que nos rodeia e com isso estamos a abrir novos caminhos e possibilidades.

Por mais incrível que pareça, não é na luta que reside a mudança, mas sim na aceitação, pois é ao cairmos nela que saímos da agitação das circunstâncias externas e podemos discernir com clareza que caminho seguir. É essa clareza que nos dá a força para quebrar as barreiras do que é geralmente aceite e instituído e nos permite caminhar através da “selva” sem nos chamuscarmos no fogo da inconsciência, levando a bom porto o nosso barco de mudança de paradigmas, crenças e costumes. A luta mantém o sistema, alimenta-o. O desapego e por sua vez a aceitação, permite-nos deixar de alimentar esse sistema e criar outro que nos sirva melhor, contribuindo assim para um todo mais harmonioso.

Bem, de volta à Eco-Trip.

Hoje também gostaríamos de mergulhar num lago, por aí e encontramos um, mas está tão seco que a água que resta não dá para banhos. Ainda assim, ficamos ali naquele silêncio algum tempo, apenas a respirar, a sentir a Terra, o sol, a brisa, a vida.

Seguimos. Está na hora de almoçar e numa aldeia, viramos à direita para ver onde vamos dar. Damos de caras com um bosque de gigantes carvalhos. O sítio ideal para um piquenique e por ali nos quedamos, debaixo das árvores a comer ainda alguns restos de Itália e outros já de França na nossa salada maravilha.

Pela tardinha passamos por Pau – uma cidade digna de postal e por outras belas vilas e aldeias nos Pirinéus. Paramos em Oleron Sainte Marie e comemos uns bolos caseirinhos de fazer crescer água na boca só de olhar.




Mais para o final da tarde chegamos a Saint-Jean-Pied-de-Port, um vilarejo de peregrinos a caminho de Santiago de Compostela. É tão bonito!



Consideramos ficar numa estalagem ou hospedaria mas depois decidimos arriscar um daqueles campings que se vêem tanto por aqui, à beira da estrada, em campos verdes e com bom ar.
Acabamos por sair da estrada principal porque o parque que vimos primeiro está muito junto à estrada e ouve-se demasiado o barulho dos carros.

Seguimos as indicações para outro camping e chegamos a um sítio bem sossegado, com uma grande casa lá ao fundo.

Pertence a um velhote que pelos vistos aluga parcelas do seu jardim para autocaravanas e tendas. Tem umas boas casas de banho com água quente e é super, mas mesmo super barato! Só 14,50€ com tenda e carro.




É aqui que vamos ficar!

Depois de montarmos a tenda, vamos à vila, ao Intermarché, para lavarmos os nossos lençóis, toalhas e mais algumas peças que estão a precisar de umas cambalhotas na máquina. Deixamos tudo a lavar e vamos dar uma volta à vila para depois vir pôr tudo a secar e usar ainda hoje os lençóis fresquinhos na nossa "Cama Real" super confortável.

Está a chuviscar e é uma alegria sentir também este tempo diferente na nossa viagem que tem sido bem tórrida até agora.

Quando voltamos para a tenda está a escurecer e hoje temos a certeza que vamos dormir como uns anjinhos, neste silêncio tão aconchegante aqui no campo.

Hoje é dia da sessão de Respiração Consciente e vou ter que me sentar na rua, com o chapéu de chuva, à beira de uma árvore onde estão as tomadas, porque o router está sem bateria.

Corre muito bem 😊 e sabe-me pela vida poder ficar aqui assim ao ar livre, à chuva, a respirar com Portugal, tirando o máximo partido das circunstâncias, grata por tudo.



Sem comentários:

Enviar um comentário