sexta-feira, 8 de junho de 2012

"O jogo do não compreendo"


“O jogo do não compreendo”


Vivemos rodeados de pessoas. Pessoas de todas as origens, credos, gostos, “tipos”. Pessoas vivendo de inúmeras formas.
Algumas dessas pessoas são-nos mais próximas que outras, e por isso tendemos a enlear-nos mais com os dramas de uns do que com os dramas de outros. Mas a verdade é que não passam de dramas. Quer sejam nossos, quer sejam de alguém próximo, quer sejam de alguém que nem sequer conhecemos e que vive do outro lado do mundo, dramas são dramas.
A questão é: até que ponto estamos preparados para larga-los de vez? É que na maioria dos casos, quando digo que há outra forma de viver a vida, a resposta é “não compreendo o que estás para aí a dizer” e a relutância em largar a zona de conforto do conhecido drama, para abraçar algo simples e suave é enorme! Chiça! Enorme mesmo!
Mas não importa! E sabes porque é que não importa? Cada um vive na medida da caixa em que se permite estar e faz parte do seu processo evolutivo, porque que seria de ti, de mim, e das pessoas que conheces se não tivéssemos tido as experiências todas (mesmo as mais difíceis) que temos tido? Serias decerto alguém diferente. Agora a escolha é entre ficar agarrado ao que já não serve ou largar tudo isso e descobrir o que é que te serve! E de início é mais fácil saber-se, pelo menos, o que não se quer… depois resta escolher o que se quer! E acima de tudo aceitar que cada um tem o direito de viver exatamente como lhe parece apropriado, mesmo que seja uma vida dramática! E quando alguém se queixa mas não ouve possíveis soluções, é porque na verdade não lhe parece apropriado viver de outra forma que não aquela em que vive. E está bem assim.
A isto chama-se Compaixão. Aceitar que tudo está como está em perfeita ordem, no caos da desordem! … aparente. Compaixão é o ponto neutro totalmente ausente de julgamento cujo Amor é tão incondicional que nem sequer vê que haja algo de errado com a escolha (consciente ou não) de vida de cada um.
E viva o livre arbítrio!... ainda que geralmente inconsciente :)
E porquê isto num blogue sobre a magia da vida?
Ora porque há quem não esteja para aí virado (para a magia da vida) e não queria deixar de incluir esses meus companheiros humanos neste blogue!



2 comentários:

  1. Adorei esta frase..." E de inicio é mais facil saber se pelo menos o que nao se quer...depois resta saber o que se quer."
    Big kiss Sal

    ResponderEliminar
  2. A Magia da Vida atrai-nos, sim, mas também nos contrai, porque desconhecemos o que está para além da linha do horizonte...,
    porque receamos a nossa Luz agrilhoada, em nós...,
    porque desconhecemos a Essência da própria ESSÊNCIA da Vida.

    Artemis

    ResponderEliminar